Criar conteúdo também é trabalho: como priorizar sua saúde mental



Recentemente estive em um bate-papo sobre saúde mental. Esse papo bateu de tal forma que fiquei matutando por uns dia. Então, hoje te convido a refletir comigo sobre a criação de conteúdo e como ela pode afetar diretamente a sua saúde mental.


Na jornada empreendedora já estamos fartos de escutar que é preciso se posicionar, estar presente nas redes sociais e criar conteúdo para o nosso público.


É preciso, é necessário, você tem que fazer.


Tá, ótimo. Mas que horas eu vou fazer isso?


Porque não se trata apenas de criar conteúdo… Nós empreendedores temos que ser todas as funções da empresa em um único dia!


Acredite em mim, eu sei que é f0da.


Como ajudamos empreendedores a criarem conteúdo, bem sabemos que muitos deixam essa coisa louca de conteúdo para a “hora extra”, ou seja, pós expediente. Aquela hora que deveria ser dedicada ao descanso, ao lazer ou ao terceiro turno de trabalho: o de casa! E não temos como negar o quanto isso pode impactar na saúde mental de cada um. Sendo assim, indiretamente, nós incentivamos esse turno extra.


O problema é mais embaixo


Mas será que incentivamos esse comportamento?


Ao falar de criação de conteúdo, não estou falando apenas da ação de criar posts para as redes sociais. Estou falando diretamente com o marketing da sua empresa, pensando sobre o branding da sua marca! Trago aqui a “criação de conteúdo” como um cenário mais amplo onde, através de um trabalho de formiguinha, vamos construindo o posicionamento da marca, visando objetivos estratégicos para a construção do todo o império que sei que está dentro da sua cabeça.


O problema é que poucas pessoas conseguem facilmente ter essa visão macro sobre os posts de toda semana. No dia a dia a criação de conteúdo sem planejamento e estratégia pode parecer mais um “capricho” do que realmente uma ação pensada para a evolução da empresa.


É aí que reside o problema onde a criação de conteúdo pode facilmente ser riscada da lista de prioridades no meio do caos da rotina. E só lembramos dela novamente quando precisamos encontrar novos clientes ou atingir um novo objetivo (como o lançamento de produto, mostrar a participação em um evento ou a estruturação de um grande projeto).


E não é nada disso que incentivamos.


A criação de conteúdo pode ser muito mais que isso


Pensa assim: se vamos em uma festa e não conhecemos ninguém, é meio improvável que você se torne aquela pessoa super animada dançando até o chão no meio de uma roda de gente batendo palma. Porém, se você fizer um esquenta antes da festa e for junto com uma galera, é mais provável que você possa aceitar alegremente o convite de descer na boquinha da garrafa.


Quando pensamos na criação de conteúdo, lembre-se dessa situação acima.


Se você nunca posta nada ou deixa pra fazer as coisas “quando der”, os assuntos que seriam legais e deveriam ser comentados passam a ser muito difíceis de serem postados. Mas se você tiver um planejamento de postagens e tiver consistência na sua frequência de postagens, quando tiver um assunto novo, vai ser mais fácil para “encaixá-lo” na programação ou até aumentar seu planejamento com muito mais propriedade!


Inventei essa analogia pintada de fábula moderna para mostrar qual a importância de ter um planejamento de conteúdo.


Através do planejamento sua marca poderá plantar as sementes de conteúdo e estratégia que você quer colher como resultado no futuro.


Por isso que o post de hoje é um apelo geral: saiba priorizar e dar atenção ao posicionamento da sua marca, tal como você faz com os outros setores da sua empresa.


É através desse planejamento que vamos decidir o que postar, quando, onde e por que. É esse movimento constante de criar conteúdo que vai direcionar as estratégias de conteúdo e nos ajudar a plantar sementes de conteúdo do que queremos colher de vendas amanhã.


Criar conteúdo é parte do processo de venda


Vou repetir: criar conteúdo é parte do processo de venda. É parte do seu posicionamento enquanto marca. Portanto, deixar a criação de conteúdo como uma pendência, talvez seja o mesmo de deixar a prospecção de clientes como algo para ser feito depois.


Se for o caso da sua empresa já estar cheia de projetos, ótimo! Vamos dar prioridade para as entregas antes de sair caçando mais clientes, né?


Mas se o caso for o contrário e você precisa de clientes, mais uma vez a criação de conteúdo vai bater na sua porta anunciando “eu avisei, meu bem”. Só que, se chegar nesse momento, o stress vai vir junto com a pressão e a coisa toda vai ganhar um peso desnecessário e até indesejável.


Portanto, a criação de conteúdo tem que ser algo consciente, feito em um ritmo facilmente adequado para sua rotina, para que não falte posicionamento de um lado e não atrapalhe os afazeres da sua rotina de outro.


Batendo o ponto com conteúdo


Agora você já sabe o poder da criação de conteúdo e como ela impacta a sua empresa.


Mas volto à pergunta inicial: que horas você vai fazer isso?


Se você chegou até aqui, percebeu a importância de colocar a criação de conteúdo como parte da sua rotina profissional. Só quero ressaltar um ponto importante desse novo hábito: inclua-o no horário de trabalho.


Isso significa que a criação de conteúdo tem que contar como hora trabalhada, tem que constar como parte do seu horário comercial. Ela não deve entrar como extra na sua rotina profissional, pois é uma parte estrategicamente importante da sua marca.


Então esse post é para fazer um apelo: coloque a criação de conteúdo no seu horário de trabalho.

O meu trabalho aqui é incentivar a criação de conteúdo. Só que quero fazer isso com responsabilidade sobre a minha, a sua e a nossa saúde mental.


Para isso preciso que você (1) entenda que a criação de conteúdo é parte do seu trabalho e (2) dedique tempo para ela dentro da sua rotina. Assim não fica a promessa de fazer legendas, fotos ou posts quando deveria estar cuidando de você.


Criar no momento de lazer pode ser muito prazeroso! Mas fazer disso um hábito é ruim pois você não deixa de trabalhar… Afinal, criar conteúdo também é trabalho.


Isso tem tudo a ver com sua saúde mental


Dizem que eu sou a última pessoa que deveria incentivar a vida offline, afinal, nós trabalhamos com o online. Mas eu prezo muito por conteúdo de qualidade e, se quero ter pessoas que estão bem o ano todo, preciso que elas não sejam consumidas pelo turbilhão que é essa internet.


Você pode sempre fazer mais... Mas será que você pode fazer MENOS? Tem uma história famosa de uma tartaruga e uma lebre que foram apostar uma corrida... E você conhece muito bem o final.


Na vida real as coisas acontecem de uma maneira bem parecida. Pode ser na sua rotina profissional, pessoal ou até nos posts de redes sociais: tem uma hora que você não aguenta mais acelerar!


Então, que tal a gente encontrar um ritmo que seja confortável para aguentar toda a jornada sem extrapolar seus limites?


Lembre-se: devagar ainda é pra frente.


Vamos diminuir frequência e aumentar qualidade, diminuir reuniões e aprofundar conversas! Vamos criar conteúdo de forma consciente, fazendo o bem pra nossa marca e para nós mesmos!


Por que tudo isso?


Porque quero que você entregue qualidade em tudo o que faz, seja pelo serviço/produto que oferece, pelo conteúdo que apresenta ou através da vida que escolheu viver.


Porque eu quero que você crie conteúdo no seu ritmo, do seu próprio jeito.


Porque eu me importo com sua marca.


E porque eu me importo com você.


Com (c)alma


No bate-papo sobre saúde mental encerramos o assunto compartilhando estratégias que nos fazem relaxar e ajudam a priorizar nossas demandas, para não nos afogarmos em trabalho.


Essa foi a forma que eu encontrei de traduzir e compartilhar, através da criação de conteúdo, qual a minha forma de aliviar a minha rotina: criando conteúdo com consciência, priorizando a minha, a sua e a nossa saúde mental.


8 visualizações0 comentário