A importância dos hábitos: uma forma leve de viver em meio aos gatilhos negativos


A Yolanda chegou em nossas vidas dia 01/04. Nem parece real que finalmente temos um pastor alemão, a nossa Yolanda.❤️


Desde que ela chegou minha vida tem sido andar pra lá e pra cá atrás de cachorro, toda preocupada com a socialização, com o stress do Tobias e deixar a Yolanda longe da piscina.


Meu parceiro fez uma um comentário bem assertivo sobre toda a nossa situação: parece que temos um recém nascido em casa. Estamos andando pra lá e pra cá atrás da bebê, acordando a noite inteira para fazê-la parar de chorar - e ainda intercalando "vai lá, tá na sua vez".


Essa semana foi completamente atípica. Peguei bastante estrada e ocupei muito minha mente com listas de tarefas. É incrível como essa mudança mexeu na minha rotina de um jeito que afetou meu humor, meu corpo, minha disposição... e isso impactou muito minha produtividade - que é o parâmetro que mais consigo medir com precisão.


Mais do que humor, mais do que cansaço, aprendi a observar minha produtividade. E em cima dessa característica eu analiso todas as demais que envolvem minha vida. Parece até loucura, mas isso é fruto da vida centrada no trabalho dos últimos 3 anos. Não é à toa que sei e consigo analisar melhor a minha produtividade, afinal, tudo o que venho lendo e estudando sobre rotina, hábitos e autoconhecimento foram motivados a uma performance melhor no trabalho.


Prazer, gatilho negativo


No início, estudei o performar para trabalhar mais.


Depois, analisando com calma e consciência minha produtividade, percebi então que precisava estudar o performar para viver com mais qualidade.


E toda essa reflexão veio ontem quando percebi um gatilho negativo de rotina.


Estou chamando de gatilho negativo aqueles afazeres, por mais simples que sejam, que eu acabo deixando pra depois e esse tal depois nunca chega, mesmo que essa tarefa inacabada fique ali me incomodando enormemente. 😖


Por exemplo, meu gatilho negativo de ontem foi a louça suja na pia. Meu Deus... como isso me incomoda! Se eu junto a louça da noite para lavar junto com o café da manhã a chance de eu postergar e levar a louça do jantar + do café da manhã para lavar no almoço é enorme.


Ontem, como disse, estava toda cansada, me arrastando pelos cantos e abrindo o Instagram em qualquer oportunidade besta que aparecesse - outro gatilho negativo.


Boa parte desse cansaço mental eu sei que era porque minha casa estava um caos. Roupas, louça, sujeira, brinquedo de cachorro e cachorro pra todo lado. Ai, só de pensar me dá coceira.


Então resolvi tirar o dia para eliminar tudo o que estava me incomodando, ou seja, colocar tudo no seu devido lugar!


Comecei pelo quarto, arrumei a cama, juntei as roupas. Coloquei roupa para lavar, recolhi todas as garrafas de água espalhadas pela casa. Arrumei a sala, recolhi os cacarecos do escritório. Então arrumei a cozinha, lavei toda a louça, juntei todos os potes que precisavam e enchi as garrafas de água.


Quando vi, já era hora do almoço. Almocei, dormi um pouquinho e foquei no que mais precisava fazer no dia: terminar uma arte de um grid e finalizar afazeres de um lançamento... fiz ambos, com calma.

No fim do dia, Caíque chegou e brincamos com os cachorros, tomamos banho e fizemos jantar. Toda sonolenta, olhei pra louça da janta e o primeiro pensamento foi "nossa, amanhã eu lavo já fiz tanta coisa hoje". Mas, depois veio a lembrança de todo o arrastar do dia e pensei "NÃO, lavo hoje mais fácil". Fui dormir com a cozinha limpinha e a mente tranquila.


Incrivelmente, hoje de manhã consegui acordar mais disposta, consegui fazer mais coisas na minha manhã do que imaginava, inclusive esse texto. 😉


Lista dos meus gatilhos negativos


Então, resolvi escrever para listar os "gatilhos negativos" que não me permitem executar meus hábitos que tanto galguei para conquistar:


1. Limpar depois que usar. A Ana do passado leu muito sobre organização da casa e ainda se perde em alguns vídeos de limpeza de vez em quando... e se ela pode dar um conselho para essa Ana que vos escreve neste exato momento, ele é: sempre limpe/guarde depois que usar, a tarefa será 3x mais fácil do que se você deixar pra depois.

2. Dê uma geral na casa antes de dormir e depois do almoço. Eu não consigo trabalhar direito em ambientes bagunçados.


Se o ambiente está bagunçado, minha cabeça vai junto na bagunça. Então esses pequenos hábitos de "dar uma geral" são muito importantes. E não falo de aspirar, passar pano ou limpar. Apenas colocar copos na pia, guardar os brinquedos dos cachorros, colocar o controle remoto da TV no lugar certo e recolher as meias pelo chão. Coisas simples de serem feitas!

3. Esqueça o celular em outro cômodo. Eu tenho um péssimo gatilho que vai atacar os hábitos saudáveis que quero construir: redes sociais.

Isso mesmo que você acabou de ler!


Eu gosto de ler, e quero manter esse hábito que me faz tão bem. Mas, quando minha cabeça está cansada, o celular parece muito mais tentador e o que era pra ser "uma olhadinha" viram 30 minutos rodando o feed - sendo que nesse tempo eu leria 2 capítulos de um livro.


Por isso, sempre tento esquecer o celular em outro cômodo ou deixá-lo ocupado com outra coisa como música ou aplicativo de foco.


Talvez essa possa ser uma dica valiosa se você, assim como eu, também tem esse probleminha com as redes sociais.

4. Respeite o tempo das coisas. Eu não sei esperar. Se um programa demora para abrir, eu abro outro para ir fazendo outra coisa. Esse é um péssimo hábito, pois sempre me faz começar várias coisas ao mesmo tempo e, como você já imagina, eu não acabo nenhuma delas.


Por isso é muito importante simplesmente esperar pacientemente ao invés de ficar clicando em um monte de coisa ou usando celular para espiar outras coisas.

5. Faça pelo menos o mínimo. Muitas vezes eu deixo de fazer algum hábito porque não consigo completá-lo com perfeição, mas esqueço que é um hábito e isso quer dizer que se eu fizer o mínimo já conta muito. Por exemplo, faz 2 semanas que tento fazer exercícios toda manhã. Só que nos últimos dias eu não consegui fazer exercícios por 1 hora, que até então era o tempo que eu havia dedicado para esse novo hábito. Mas por que não alonguei por 10 ou até 5 minutos?


O mínimo muitas vezes conta muito mais a longo prazo. Lembre-se disso! 🙌🏼


Não sei, só sei que foi assim.


No final das contas, eu nem sei porque decidi escrever tudo isso... Senti que precisava.


Então, fica aqui meu exercício de autoconhecimento do dia.


Ah lá, venci alguns gatilhos negativos aqui hein... Check!


0 visualização0 comentário